segunda-feira, 20 de agosto de 2012

Entrevista: Paleotólogo Jorge Luiz Lopes





Dando continuidade à série "Personalidades", temos hoje o Prof. Dr. Jorge Luiz Lopes, da UFAL e diretor do Museu de História Natural do Estado de Alagoas

                                                           
1) Como toda criança, desejamos ser astronautas e estudar os dinossauros. Em Alagoas, este estado tão pobre, com a educação que figura como a pior do Brasil, como o senhor foi se interessar por estudar Paleontologia?? Desde criança que gosto dos fósseis, o incrível é que os dinosauros nunca foram meus preferidos, normalmente toda criança começa gostando deles.Qual sua formação inicial?? Sou biólogo de graduação e fiz mestrado e doutorado em geociências com concentração em paleontologia
2) O museu de Paleontologia tem a chacela da UFAL, mas recebe algum tipo de ajuda internacional de outras universidades? Não. O museu é um orgão suplementar da UFAL, ligado a Pró-Reitoria de Extensão. Temos parcerias com outras instituiçõs de pesquisa do brasil e de outros países, porém nossos recursos são da UFAL.
3) Quais os grandes estudiosos da Paleontologia no Nordeste?? São muitos, relacionar os nomes ficaria muito longo, temos pesquisadores em todos os estados atuando em várias áreas da paleontologia Em Alagoas?? Somos apenas dois, eu e uma outra paleontóloga a Márcia que está lotada no Campus de Arapiraca. Tenho hoje uma equipe, que estou formando, no museu composta por oito alunos do curso de biologia.
4) Quais as principais caracteristicas da época remota que Alagoas tem ?? Tivemos preguiças gigantes?? Tivemos preguiças gigantes e muitos outros mamíferos pleistocênicos como: tigre dentes de sabre, paleolhama, mastodontes, xenorhinotherium, cavalos, tatus gigantes, toxodontes. Também temos fósseis da era Mesozóica como: peixes, moluscos, tartarugas, coprólitos (fezes fossilizadas) entre outros.Dinossauros?? Ainda não achamos.
 
5) Li em alguns locais que o senhor dá palestras para alunso da rede estadual e privada. De que forma se faz o agendamento de visitas e como fazem os professores e diretores de escola para tê-lo como palestrante??  É só agendar na escola e enviar uma solicitação ao Museu (serve para guardamos em arquivo as atividades desenvolvidas).
A senhora pode marcar na escola e nos contactar para agendarmos o dia e a hora.
6)Sabemos que as pinturas rupestres do Brasil são lindíssimas em cor e detalhes. Porque o governo federal tem tanto descaso com esse assunto, principalmente em relação ao nordeste, que tem sítios arqueológicos importantíssimos?? O descaso vai além, não só a cultura como a educação. Ainda não temos governantes que possua um perfil de formação que valorize esse patrimônio. O que vale para eles é aquilo que esteja relacionado ao Petróleo (estradas, veículos e por aí vai).
7) Como Paleontólogo o senhor está realizado?? Sim, amo minha profissão O que ainda precisa ser feito?? Ainda temos muito caminho pela frente, nós últimos cinco anos é que começamos a ver realmente o valor do nosso patrimônio fóssil o qual precisa ser melhor conhecido, estudado e preservado.
8) Se um aluno nosso quiser entrar nas matas, andar no barro, percorrer solos secos com sede e chuva, gostar de ossos, for curioso e gostar de História natural será um bom paleontólogo? Esse já é um primeiro passo O que e como ele fará para chegar a ser um? Fazer graduação em áreas afims e depois fzer mestrado e doutorado em paleontologia.
9) Dia 10 de setembro será lançado um livro sobre a Paleontologia em Alagoas. Fale-nos sobre este livro: É o primeiro livro a tratar o patrimônio arqueológico e paleontológico de Alagoas, com informações não encontradas em outras publicações. Rico em ilustrações e com uma linguagem fácil de entender para quem não é especialista.
 
Mais informações sobre o trabalho desenvolvido pelo professor, acesse as páginas de O Jornal:
Postar um comentário