sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Dicas para trabalhar Consciência Negra na sala de aula

 
As dicas são da professora Elaine Cassan, que faz as seguintes recomendações: Revista Nova Escola
  • Comece com uma brincadeira sutil: deixar as crianças experimentarem o toque, nos cabelos umas das outras, para perceber que nem todo mundo é igual. Aproveite para trabalhar o livro O cabelo de Lelê e As tranças de Bintou.
  • Em seguida, ajude-as a representar essas sensações em bonecos de massinha. Tanto o toque como a massa de modelar têm o objetivo de experimentar um contato prazeroso com o outro.
  • Dê continuidade ao trabalho com a produção de um "álbum da diversidade", com desenhos e colagens de fotos e gravuras com pessoas de todos os jeitos e gêneros.
  • Peça aos pais para ajudar, resgatando fotografias de antepassados para que as crianças possam fazer uma árvore genealógica, descobrindo sua identidade familiar. Tudo para valorizar a individualidade e a história de cada um.
  • Acrescente contos, histórias, músicas (veja Siyahamba, Obwisana e Askari, musiquinhas de origem africana aqui no blog) e filmes, para a garotada conhecer histórias de origem africana.
  • Mobilize os pais para mandarem retalhos para a produção de panôs (artesanato de origem africana em que vários retalhos, de diferentes tamanhos e cores, são reunidos para representar a diversidade).
Postar um comentário