quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Professor daquele tempo....








Claro que cada um de vocês está conseguindo ler o que escrevo, porque tiveram professores: os de casa ou de escolas particulares ou da rede pública, mas alguém se dispôs em ensiná-lo a vislumbrar a árdua tarefa de decifrar as letras, juntar as sílabas, formar palavras, entender as frases e finalmente, entender o mundo!Muito lindo, até emocionante. O que se vê é bem diferente. Os professores estão ficando doentes com falta de ar, garganta inflamada, dores de ouvido, rouquidão e o pior, de medo dos alunos.Fico pensando como era quando fazia o primário: ia de casa pra escola da D.Edith à pé, ninguém mexia conosco, era longe e o percurso, muitas mães de hoje, não se atrevem a fazê-los nem com a família inteira. Naquele tempo, levávamos uam maçã pra professora, admirávamos a estagiária, fazíamos "de graça" a lembrança do dia dos pais, das mães...Naquele tempo, a professora não gritava, nem metia régua nas crianças. Naquele tempo levávamos ovo, cenoura, batatinha, açúcar e o que precisasse pra fazer arroz doce, sopa, canja de galinha, mungunzá.Naquele tempo, quando um amiguinho morria ou ficava doente,a turma toda ia visitar a família...levar as flores do jardim de casa.Naquele tempo, existiam as salas "fortes" e as "fracas", e pude me ver na 4ª série "forte", pense na alegria!Naquele tempo, a professora escrevia no caderno um recado aos pais comparecerem à escola quando fazímaos algo de errado. O pai comparecia, repreendia a criança.Hoje, quero ser professora e fico me perguntando que tipo vou ser, como vai ser, e que alunos vou ter.
As dúvidas me enchem de entusiasmo, por ter espírito impulsivo, mas uma parte de mim sabe que talvez seja muito difícil encontrar algum aluno "daquele" tempo.
















Postar um comentário